top
Brasil - Geologia, Recursos Minerais, Hídricos e Mineração <Home>
Retorna

Geologia de Engenharia: o que é, como trabalha. Artigo do geólogo Álvaro Rodrigues dos Santos - USP 1968  E-mail: santosalvaro@uol.com.br

.......................................................................................

Geólogo Álvaro Rodrigues dos Santos
Consultor em Geologia de Engenharia,
Geotecnia e Meio Ambiente.

1 - Apresentação       1 -  Presentation
2 - Essência e Posicionamento Conceitual
3 - Posicionamento Disciplinar
4 - Fundamentos Filosóficos
5 - Base Disciplinar de Apoio

6 - Campos de Aplicação
7 - Roteiro e método de trabalho
8 - Fases históricas da GE brasileira
9 - Casos de Aplicação

 1  

1 - Apresentação  

 

     A Geologia Econômica e a Geologia de Engenharia compõem os dois grandes campos de aplicação da Geologia. Aquela envolvendo os trabalhos de exploração e explotação de recursos minerais - minérios, água, hidrocarbonetos, essa dando conta de subsidiar todos os tipos de ações humanas de uso e ocupação do solo com as informações e orientações necessárias ao seu êxito técnico e ambiental.

     Tomando corpo no país especialmente a partir da década de 60, hoje a Geologia de Engenharia brasileira é reconhecida como uma das que melhor se faz em todo o mundo e já é responsável por grande parte dos empregos dos geólogos brasileiros.

     Essa seção pretende levar a profissionais e estudantes informações básicas de caráter conceitual, metodológico e prático sobre a GE brasileira, com a preocupação adicional de colaborar para incorporar definitivamente a Geologia de Engenharia no mundo da Geologia brasileira.

g

1 - Presentation

     
      Even with the abdication of the compulsive consumption and population growth, the civilization Utopia of arrive to a society where all the human beings have a material life with dignity  and spiritually full, it will demand the multiplication of human enterprises in the planet: energy, transports, industries, cities, agriculture, disposition of wastes... 

      The Engineering Geology is one of the technological branches on which place the enormous responsibility of become that wonderful Utopia technically possible, without placing in risk the own human life in the planet.   

      From the methodological point of view, the Brazilian Engineering Geology needs definitively  free it self of the straits paradigms of Geotechnical Engineering, for whose hand  was introduced at the country in the fifties, but just with a limited function of quantifying  properties and characteristics of Soil Mechanics and Rock Mechanics interest.   

      The Engineering Geology, while a interpreting science of natural and induced geological-geotechnical phenomena dynamics, and indicating of the best ways for face them, it will only be able to accomplish this untransferable and fundamental paper if intrinsically linked to the paradigms and the analysis tools of your science-mother, the Geology.   

      To collaborate for those purposes is the modest expectation of this Section.   

 

Álvaro Rodrigues dos Santos   
                               

2

2 - Essência e Posicionamento Conceitual

.

     Detendo-nos na frase de F. Bacon, "a natureza para ser comandada precisa ser obedecida", expressão que revela a maravilhosa capacidade de percepção e síntese própria dos sábios, podemos entendê-la como a própria essência conceitual da Geologia de Engenharia.

     Para o atendimento de suas necessidades (energia, transporte, alimentação, moradia, segurança física, comunicação...) o Homem é inexoravelmente levado a aproveitar uma série de recursos naturais (água, petróleo, minérios, energia hidráulica, solos...) e a ocupar e modificar espaços naturais das mais diversas formas (cidades, agricultura, indústria, usinas elétricas, vias de transportes, portos, canais, disposição de rejeitos ou resíduos...), o que já o transformou no mais poderoso agente geológico hoje atuante na superfície do Planeta. Para que esse comando da natureza seja coroado de êxito deve incorporar (obedecer) as leis que regem as características dos materiais e dos processos geológicos naturais afetados.

Para que o " comando da natureza seja coroado de êxito deve incorporar (obedecer) as leis que regem as características dos materiais e dos processos geológicos naturais afetados."

     De uma forma concisa, podemos entender a Geologia de Engenharia como a Geociência Aplicada responsável pelo domínio tecnológico da interface entre a atividade humana e o meio físico geológico.

    Recentemente, a IAEG - International Association for Engineering Geology and the Environment, refletindo o crescimento exponencial dos problemas ambientais em todo o mundo, atualizou em 1992 sua conceituação epistemológica oficial para Geologia de Engenharia, a qual consta de seus estatutos e já dos estatutos da ABGE - Associação Brasileira de Geologia de Engenharia e Ambiental:

Conceituação da Geologia de Engenharia - ABGE - Associação Brasileira de Geologia de Engenharia Ambiental

 3  

3 - Posicionamento Disciplinar

.

     Disciplinarmente, a Geologia de Engenharia admite duas abordagens não excludentes e plenamente válidas.

     Do ponto de vista da Geologia, ela é entendida como um de seus ramos aplicados. Certamente este é o posicionamento disciplinar mais adequado ao propósito de resguardar e ressaltar como fundamentais para o trabalho do geólogo de engenharia, o instrumental metodológico e a base acumulada de conhecimentos da Geologia. Significa o ato maior do geólogo de engenharia perceber o desafio que lhe é colocado pela Engenharia, através dos olhos da Geologia e, mais aplicadamente, dos processos geológicos envolvidos. E, portanto, também perceber a importância profissional em não se afastar do contexto e da evolução dos conhecimentos no campo de sua ciência matriz. O esquema da Figura 1 expressa esse entendimento.

     Do ponto de vista da ENGENHARIA, a Geologia de Engenharia é vista como um componente disciplinar da Geotecnia, entendida esta como o ramo da Engenharia que se ocupa da caracterização e do comportamento dos materiais e terrenos da crosta terrestre para fins de engenharia. Esse posicionamento disciplinar é especialmente oportuno no sentido de reforçar o caráter aplicado e as responsabilidades resolutivas, e inclusive legais, do trabalho do geólogo de engenharia.

Figura 1 - Conceituação disciplinar da Geologia de Engenharia

          Figura 1 - Conceituação disciplinar da Geologia de Engenharia
.

     Nesta abordagem, a Geologia de Engenharia tem como disciplinas parceiras, também formadoras da Geotecnia, a Mecânica dos Solos e a Mecânica das Rochas, conforme apresenta o esquema da Figura 2.

Figura 2 - Disciplinas parceiras da Geologia de Engenharia

         Figura 2 - Disciplinas parceiras da Geologia de Engenharia
.

     Ainda que com aplicações pontuais já bastante antigas, pode-se dizer que, do ponto de vista de sua personalização e sistematização científica, as três disciplinas são recentes. A hoje ISSMGE - International Society for Soil Mechanics and Geotechnical Engeneering foi fundada na ocasião de seu primeiro congresso internacional, em 1936, em Cambridge nos EUA; a ISRM - International Society for Rock Mechanics, fundada em 1962, organizou seu similar em 1966, em Lisboa, Portugal, e a hoje IAEG - International Association for Engineering Geology and the Environment, fundada em 1964, fez acontecer o seu primeiro conclave internacional em 1970, em Paris, França.

     Por Terzaghi (1944) e Vargas (1977), podemos entender a Mecânica dos Solos como a disciplina responsável pelos estudos teóricos e práticos sobre o comportamento dos solos - materiais terrosos - naturais sob o enfoque de sua solicitação pela Engenharia.

     A ISMR assim sugere a conceituação da Mecânica das Rochas em seus estatutos: "O campo da Mecânica das Rochas é voltado a incluir todos os estudos relativos ao comportamento físico e mecânico das rochas e maciços rochosos e a aplicação desse conhecimento para o melhor entendimento de processos geológicos e para o campo da Engenharia".

     Importante observar nesse contexto epistemológico, que os fenômenos geotécnicos do âmbito da Geologia de Engenharia serão qualitativamente e dinamicamente explicados por essa disciplina, mas quantitativamente e mecanicamente somente equacionados pelas leis da Mecânica dos Solos e da Mecânica das Rochas. Ou seja, os fenômenos de Geologia de Engenharia desenvolvem-se segundo as leis da Mecânica dos Solos e da Mecânica das Rochas.

f

4  

4 - Fundamentos Filosóficos

   "Toda Ciência deve ter uma filosofia, e só esse caminho pode levar a progressos reais", afirmava categoricamente já em 1809 Lamarck, em sua histórica obra "Filosofia Zoológica".

     Para Lamarck, que estabeleceu pela primeira vez, ordenadamente, as bases da teoria evolucionista, a filosofia de sua Ciência, qual seja a Zoologia, o estudo das espécies, fundava-se no conceito das analogias e semelhanças entre os seres e no conceito do sentido da complexidade no processo evolutivo.

     A filosofia da
Geologia de Engenharia funda-se, em minha percepção, em três conceitos essenciais: 

  

    
5

4  

5 - Base Disciplinar de Apoio

     Além da própria Geologia, como ciência matriz, e da Mecânica das Rochas e da Mecânica dos Solos, como disciplinas correlatas na Geotecnia, a Geologia de Engenharia se vale de uma série de ciências e disciplinas conexas para seu integral exercício, conforme apresenta o esquema da Figura 3.

Figura 3 - Geologia de Engenharia: ciências e disciplinas conexas

 Figura 3 - Geologia de Engenharia: ciências e disciplinas conexas

5
6 - Campos Profissionais de Aplicação
.

     Ainda que o geólogo de engenharia possa adotar um perfil profissional eclético, é mais comum observar-se uma determinada especialização em um ou mais campos de atividade. A seguir, relacionamos, sem pretensão exaustiva, os campos profissionais de aplicação que se têm consolidado até hoje no país e no mundo. São determinados tanto por tipo de solicitação aos terrenos, como por tipos de fenômenos geotécnicos, técnicas de apoio, outras áreas de conhecimento e campos de atividade.

Campos de aplicação da Geologia de Engenharia

Webdesigner - ncsf/ago/2002