top

Brasil - Geologia, Recursos Minerais, Hídricos e Mineração <Home>

Opinião & Realidade  
 

 
Escorregamento em boçoroca destrói 10 moradias e compromete outras 30

 

Sem a repercussão de mídia que teve o colapso da Estação Pinheiros da Linha 4 do Metrô paulista muitos acidentes graves em obras de engenharia continuam infelizmente a acontecer no país. No início de março (05/03/2007) um grande escorregamento ocorrido em aterro assentado em cabeceira de antiga boçoroca, obviamente sem maiores cuidados técnicos, destruiu completamente 14 e comprometeu tecnicamente outras 30 moradias no loteamento Jardim Paulista em Monte Alto no Estado de São Paulo, além de tragar duas máquinas e um caminhão da Prefeitura. Por muita sorte e acaso não ocorreram mortes neste lamentável acidente.

Boçorocas são feições erosivas normalmente associadas a terrenos mais arenosos e que acontecem quando processos erosivos superficiais (ravinamento) encontram o nível d’água, situação onde acontece uma potencialização do fenômeno através de sucessivos colapsos dos taludes de cabeceira.

Para a implantação de um loteamento habitacional simplesmente se “lançou” terra sobre a cabeceira da boçoroca sem nenhuma providência de boa compactação e instalação de sistemas drenantes e de contenção, o que, com a evolução dos fatores de instabilização, veio proporcionar essa verdadeira “corrida de lama”.

Ressalte-se que essa possibilidade havia sido alertada por técnicos do IPT e do IG - Instituto Geológico à empresa responsável pelo loteamento e à Prefeitura Municipal, mas como é infelizmente comum, absolutamente nenhuma providência foi tomada.

Esse acidente trás à tona mais uma vez esse gravíssimo fenômeno: a resistência de autoridades públicas e privadas em adotarem e implementarem as recomendações do meio técnico especializado.

Como sempre são os cidadãos e a sociedade que pagam. E às vezes o preço é altíssimo, incluindo vidas humanas.

Agradecemos o geólogo Jair Santoro e o engenheiro Rodolfo M. Mendes do Instituto Geológico do ESP pela sessão das fotos..

       Geól. Álvaro Rodrigues dos Santos

       Ex-Diretor de Planejamento e Gestão do IPT e Ex-Diretor da Divisão de Geologia 

       Foi Diretor Geral do DCET - Deptº de C&T da Secretaria de C&T do Est. de São Paulo

       Autor dos livros  “Geologia de Engenharia: Conceitos, Método e Prática” e “A 
       Grande Barreira da Serra do Mar” "Cubatão"

       Consultor em Geologia de Engenharia, Geotecnia e Meio Ambiente

         Criador da técnica Cal-Jet de proteção de solos contra a erosão

       E-mail: santosalvaro@uol.com.br

 
Início desta página

Retorna a página anterior